Notícias - Samarco

Publicado 13/04/2017

Fundação Renova inicia monitoramento em tempo real da qualidade da água do Rio Doce

Fundação Renova inicia monitoramento em tempo real da qualidade da água do Rio Doce
A Fundação Renova entregou hoje (31/03) as três primeiras estações de monitoramento em tempo real da qualidade da água do Rio Doce. Parâmetros como turbidez, oxigênio dissolvido e PH serão transmitidos por sondas, que farão a análise de hora em hora e permitirão uma atuação mais ágil e precisa da Fundação Renova e dos órgãos ambientais nas ações de recuperação da região. Além das estações localizadas nos municípios mineiros de Rio Doce, Santa Cruz do Escalvado e Sem Peixe, a expectativa é de que outras 19 unidades estejam em operação até o final de julho ao longo de toda a extensão da bacia.

Das três primeiras estações, duas foram instaladas na área da Usina Hidrelétrica Risoleta Neves e uma no município de Sem Peixe, a cerca de 45 quilômetros da hidrelétrica. Um destes postos irá monitorar a água antes de sua chegada na usina, e os outros dois, após sua passagem por ela, identificando eventuais alterações decorrentes da atividade de dragagem que está sendo realizada em seu reservatório. Das 22 estações a serem implantadas, oito farão o monitoramento de qualidade da água e o restante fará a medição do nível do rio, da temperatura do ar e da quantidade de chuva.

Estas estações de monitoramento fazem parte do Programa de Monitoramento da Qualidade de Água e Sedimentos na Bacia do Rio Doce, desenvolvido conjuntamente pela Fundação Renova, órgãos ambientais e agências de água. Até a implantação deste Programa de Monitoramento de longo prazo desta região, a Fundação Renova dará continuidade ao trabalho que vem realizando e que atualmente conta com 115 pontos de monitoramento ao longo da Bacia do Rio Doce e região costeira próxima à foz, junto a laboratórios acreditados pelo Inmetro.

Sobre a Fundação Renova
A Fundação Renova é uma instituição autônoma e independente constituída para reparar os danos causados pelo rompimento da barragem de Fundão, ocorrido em Mariana (MG), em novembro de 2015. Entidade privada, sem fins lucrativos, garante transparência, legitimidade e senso de urgência a um processo complexo e de longo prazo. A Fundação foi estabelecida por meio de um Termo de Transação e de Ajustamento de Conduta (TTAC), assinado entre Samarco, suas acionistas, os governos federal e dos estados de Minas Gerais e do Espírito Santo, além de uma série de autarquias, fundações e institutos (como Ibama, Instituto Chico Mendes, Agência Nacional de Águas, Instituto Estadual de Florestas, Funai, Secretarias de Meio Ambiente, dentre outros), em março de 2016.



Fonte: Assessoria de Imprensa Samarco